Cidadania Iguapense


POUCAS & BOAS

Já nas bancas a Tribuna de Iguape de julho. Aqui, minha coluna:

 

Para o “diçonáriu” – Segundo os gaiatos da internet, uma nova palavra foi acrescentada aos dicionários de português: Lular. [Do analfa Lula]: Verbo totalmente irregular de estranha conjugação. 1. Ocultar ou encobrir com astúcia e safadeza; disfarçar com a maior cara de pau e cinismo. 2. Não dar a perceber, apesar de ululantes e genuínas evidências; calar. 3. Fingir, simular inocência angelical. 4. Usar de dissimulação; proceder com fingimento, hipocrisia. 5. Ocultar-se, esconder-se, fugir da responsabilidade. 6. Tirar o... da reta, atingindo sempre o amigo mais próximo, sem dó nem piedade (antes ele do que eu). 7. Encobrir, disfarçar, negar sem olhar para as câmeras e nos olhos das pessoas. 8. Fraudar, iludir. 9. Afirmar coisa que sabe ser contrária à verdade, acreditar que os fins justificam os meios. 10. Voar com dinheiro alheio.

 

Homens Públicos?! – O senador Jefferson Peres (PDT-AM) definiu com muita propriedade o que acontece no Senado Federal: “A Casa está desmoronando, desmoronando... o nível todo do Senado caiu muito. Do Parlamento em geral... São pessoas que não têm espírito público, que querem apenas usufruir o poder e a qualquer custo. Desculpem o meu diagnóstico pessimista”. O diagnóstico não é pessimista, é a mais crua realidade, que reflete a Poder Legislativo em todo o País, incluindo (ai de nós!) o de Iguape. Ou não?

 

Preço do Legislativo – Estudo realizado pela Transparência Brasil mostra que o brasileiro morador das capitais gasta em média R$ 117 por ano para manter funcionando as casas do Poder Legislativo, em suas três esferas (federal, estadual e municipal). O estudo revela também que a Câmara dos Deputados custa R$ 18,14 por ano para cada brasileiro e o Senado sai por R$ 14,48 por habitante. Entre os estados, a Assembléia Legislativa mais cara por habitante é a de Roraima (R$ 145,19), e a mais barata a de Sergipe (R$ 10,63). Comparadas as capitais de estados, a Câmara de Vereadores mais cara por habitante é a de Palmas (TO), que custa anualmente R$ 83,10 para cada morador da cidade. A mais barata é a de Belém (PA), com custo de R$ 21,09 por ano. A Transparência Brasil aponta também que, em Boa Vista (RR), o gasto total com o Legislativo (nas três esferas) representa 4,7% do PIB per capita. No outro extremo, em Vitória (ES), o gasto total de cada habitante com o Legislativo representa 0,4% do PIB per capita. E em Iguape, quanto custaria? Quem se habilita a fazer o cálculo?

 

Dinheiro tem, prestação de contas é que não – Informação oficial do gabinete do deputado Márcio França (PSB-SP) dá conta de que os repasses de recursos federais para o Vale do Ribeira, durante os primeiros meses deste ano da graça de 2007, já cresceram 24,6% em relação a 2006. Iguape foi o município da região que registrou o maior aumento de recursos recebidos: 39,35%. Pulou de R$ 1,91 milhão em 2006 para R$ 2,66 milhões em 2007. Os dados estão ainda disponíveis no SIAFI (Sistema de Informação de Administração Financeira), da Secretaria do Tesouro Nacional.



Escrito por Reinival Paiva às 18h25
[ ] [ envie esta mensagem ]


cont.

Combate à corrupção - Às vezes o Congresso tenta apagar o terrível ditado segundo o qual "toda vez que um parlamentar tem uma idéia o Brasil piora". Trata-se do projeto de lei complementar 217/2004, já aprovado pelo Senado e ora na Câmara. Em poucas linhas, determina que a União, os 5600 Municípios, os 26 Estados e o Distrito Federal coloquem obrigatoriamente à disposição da população na Internet, “em tempo real, informações pormenorizadas" de todas as suas receitas e despesas. O prefeito soltou rojões e explodiu foguetes? No mesmo dia a despesa aparece na rede mundial. Pagou a uma empreiteira? A mesma coisa. Cai a margem de manobra para desvios. E oferece-se ferramentas para a sociedade fiscalizar.

 

Valo das Lamentações – No próximo dia 27 de julho completará um ano a última tragédia do Valo Grande, quando as águas levaram de roldão parte da antiga Rua do Peixe, na altura da barragem no Porto do Ribeira, tragando casas e acarretando sérios prejuízos para diversas famílias. E quem se der ao trabalho de por lá passar constatará que tudo permanece tal e qual. A “emergência” foi perenizada. O “provisório” parece que virou definitivo. Como tudo em relação ao Valo Grande, que há 150 anos espera por uma decisão política nossa, em primeiríssimo lugar, para depois podermos cobrar dos governos Estadual e Federal sua parte. Porém, sonâmbulos, andamos e murmuramos queixas e impropérios. Só não acordamos.

 

Tijuco Alto – Foi remarcada para o dia 14 de julho, em Registro, a audiência pública sobre a barragem de Tijuco Alto no rio Ribeira de Iguape, entre os estados do Paraná e de São Paulo, um empreendimento acalentado pelo grupo Antônio Ermírio de Moraes (Votorantim). Isso se a greve dos servidores do Ibama, que já dura 50 dias, por conta da divisão do órgão federal de meio ambiente, não levar a novo adiamento (aliás, o Ibama acabou em Iguape. Cadê os fogos?). A usina hidrelétrica do Tijuco Alto também afeta Iguape e seu estuário. O difícil é saber qual a posição de Iguape em tudo isso. Estivéssemos atentos e não teria havido oportunidade melhor para tratarmos conjuntamente a questão do Valo Grande. Mas tudo bem, a discussão sobre Tijuco Alto só tem 20 anos e não tivemos tempo suficiente para nos preparar. E quer ver que nem representante teremos na audiência.

 

Passaralho (1) – Dizia Capistrano de Abreu que a Constituição Brasileira bem que podia se resumir a dois artigos apenas. O primeiro: todo brasileiro deve ter vergonha na cara. O segundo: revogam-se as disposições em contrário. E vendo os concursos públicos realizados em Iguape, não é difícil perceber que a lei vale pouco quando aos que comandam falta seriedade. Pessoas que se sentem prejudicadas têm me procurado e alertado para eventuais fraudes e favorecimentos políticos nas listas de aprovados em concursos, mas a constituição de provas não é fácil e a Justiça, como se sabe, trabalha com a verdade processual e não com a verdade verdadeira.



Escrito por Reinival Paiva às 18h22
[ ] [ envie esta mensagem ]


cont.

Passaralho (2) – Antes, cada prefeito que assumia promovia seu passaralho (segundo o Houaiss, furacão que demite uma porrada de funcionários) e contratava sua turma. Agora, tudo nos conforme, dentro da lei, promovem-se concursos, mas o resultado é o mesmo, com a agravante de que o cabo eleitoral passa a ser efetivo. E assim caminhamos, a ponto de aqueles que se sentem prejudicados e a mim procuram apontarem para o difícil dilema: se participam do concurso, referendam a contratação de quem já seria mesmo contratado; se não participam, acaba contratado por falta de concorrente quem já seria mesmo contratado.

 

Vai para o trono ou não vai? – Perplexidade. É o mínimo que pode ser dito da recente (e suada, para ser marcada) reunião dos moradores do Itimirim com o alcaide. Primeiro, de acordo com os moradores, o alcaide afirmou não poder atendê-los em simplesmente nada que se refere aos pleitos apresentados pela comunidade: estradas, horários dos ônibus, merendeiras nas escolas etc. Depois, diante da solicitação de que cedesse ao menos um procurador da prefeitura para ajudar na complicada questão fundiária do bairro, sua excelência teria se saído com essa: “O quê, com esse Jurídico que eu tenho aí?!”

 

Não é comigo (1) – Um psicopata à solta na Barra do Ribeira ateou fogo a inúmeros medidores de luz e postes de iluminação residenciais. O piromaníaco ameaçava ainda incendiar casas. Procurada pelos moradores em pânico, a prefeitura afirmou singelamente não ser sua responsabilidade questões de segurança. Solidariedade não precisa. Reunir-se com a PM, Polícia Civil e moradores, também não. E fiquei curioso: quem sabe dizer quais são as responsabilidades da prefeitura? E qual delas a prefeitura cumpre a contento? Cartas para a redação da Tribuna de Iguape.

 

Não é comigo (2) – Um caminhão da prefeitura passou dois meses atolado (e acabou em boa parte depenado) no início da estrada que leva ao Morro Seco.

 

Não é comigo (3) – Removida de uma oficina de Registro há um ano, após inúmeras e reiteradas denúncias aqui feitas, há três anos e meio no total (desde a des-administração anterior) uma ambulância apodrece, agora no pátio da prefeitura.

 

Nenhuma das alternativas – Pois é, não morri, não estou doente, nem com medo e muito menos sendo processado por quem quer que seja. Simplesmente, em razão de muito trabalho e correria, deixei por um breve tempo de escrever minha coluna. Mas aqui está ela. E mês que vem tem mais.



Escrito por Reinival Paiva às 18h20
[ ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil


BRASIL, Sudeste, IGUAPE, Centro, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, Livros, Política, Pescaria
MSN -



Histórico
01/12/2007 a 31/12/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005




Votação
Dê uma nota para
meu blog